Lago Serra da Mesa

A MELHOR PESCA DE TUCUNARÉS DO BRASIL

A melhor região de pesca no norte de Goiás. A represa é formada pelo rio Maranhão, Bagagem e Tocantinzinho, afluentes do Tocantins e seus afluentes como os rios Bacalhau, das Almas, Biliago, Trairas, do Peixe entre outros, se destaca pela excelente piscosidade de tucunarés.

A represa tornou-se ponto de concentração dos tucunarés nativos da região. As espécies encontradas são o amarelo e o azul. Além destes, bicudas enormes, algumas cachorras, piabanhas, traírões, piranhas gigantescas, jacundás, piracanjubas, e outros peixes de fundo também habitam as suas águas, como o barbado, o jurupensen, a cachara e o jaú.

A pesca de tucunarés no Condomínio Serra da Mesa Park faz a alegria dos pescadores, que mesmo sem muita experiência contagiam-se pela agressividade e emoção do peixe, que explode na superfície em cardumes numerosos e violentas arrancadas.

A conjunção de fatores como o amplo espaço, as condições climáticas e a fartura de alimento contribuíram para que o tucunaré se desenvolvesse bem nesse novo habitat, atingindo grande tamanho e peso rapidamente.


SAIBA MAIS SOBRE O TUCUNARÉ (FONTE: WIKI-PÉDIA)
Pesca
Os tucunarés são peixes que atraem pescadores por causa da briga que ele faz com o pescador. Eles têm como habitat natural a bacia amazônica.

Peso e tamanho

Normalmente, atingem de 50cm a 60cm, mas já foram encontrados exemplares com mais de 70cm. O peso fica entre 3kg e 10kg. Há registros de tucunarés com mais de 1m e até12 kg, o que parece ser o record.

Habitat do Tucunaré (No Brasil)
O tucunaré é uma espécie territorial e sedentária e não realiza migrações. Na Bacia Amazônia, quando os rios estão com as águas baixas, habitam principalmente as lagoas marginais, partindo para a mata inundada (igapó ou mata de várzea) durante as cheias. Nas lagoas, durante o início da manhã e final do dia, quando a água ainda está fria, alimentam-se próximo às margens. Quando a água esquenta, passam para o centro das lagoas. O tucunaré não aprecia águas correntes. Em rios, pode ser encontrado em remansos. Nas represas, prefere viver junto às margens, nos locais onde podem ser encontradas “tranqueiras”, que, no linguajar dos pescadores, são galhadas, plantas flutuantes e outras estruturas submersas que formam um refúgio. Em represas do estado de São Paulo, pescadores notaram um comportamento peculiar: a quase total falta de tucunarés grandes nas margens quando estas estão coalhadas com filhotes da espécie.

Hábitos alimentares
Pescadores experientes afirmam que a melhor época para a pesca do tucunaré é no período de desova, pois é nessa época que eles se encontram mais ariscos, atacando a iscas por alimento, assim como por defesa dos filhotes.

Reprodução e Acasalamento
Estudos têm mostrado que o período de reprodução do tucunaré é longo. Nos açudes do nordeste, há um pico de reprodução, que ocorre no inverno, quando as águas dos açudes ficam menos quentes.

Os tucunarés fazem uma espécie de ninho utilizando pequenas pedras. Normalmente, a fêmea fica tomando conta do local, enquanto o macho circula em volta para evitar a entrada de intrusos no seu raio de ação. Os filhotes de tucunaré são protegidos pelos pais até atingirem aproximadamente dois meses de idade e um comprimento médio de 6cm. Enquanto estão protegidos pelos pais, os alevinos não possuem a pinta na cauda, uma das características mais marcantes no tucunaré. Nessa ocasião, predomina uma faixa preta longitudinal ao longo do corpo. Apenas quando se separam, começam a aparecer tanto a pinta como as listras verticais. Nesta ocasião, habitam as vegetações nas margens. Os filhotes, após serem abandonados pelos pais seguem aos milhares, em cardume, para regiões de águas quentes, protegendo-se em locais de densa vegetação.